5

Patologias da Mama

As patologias da mama podem incluir distúrbios benignos (não cancerígenos) ou malignos (cancerígenos).

Distúrbios Benignos

Mastalgia:

  • Em geral ocorre e/ou durante a menstruação, mas podem acontecer em qualquer em qualquer momento do ciclo menstrual, causadas pelas alterações hormonais. Na maioria dos casos, o uso dos analgésicos soluciona os sintomas. Mais raramente, são necessárias medicações estrogénicas com efeitos colaterais mais importantes.

Cistos:

  • Os cistos contém líquido, e podem ser puncionados no próprio consultório, quando palpáveis. Só se recorre a cirurgia, para excluir a hipótese de Cancro, se o mesmo cisto voltar, houver massa restante após punção ou o líquido for sanguinolento. Pacientes com cistos múltiplos simples podem acompanhar com ecografia e mamografia.

Doença Fibrocística da Mama/Adensamento:

  • Apesar de ser chamada de doença, esta condição não é uma doença. A doença fibrocística da mama é um distúrbio comum no qual há dor mamária, cistos e nódulos benignos simultaneamente. Áreas de adensamentos são áreas endurecidas, acompanhadas ou não de dor e nodularidade. Em caso de dor, está indicado o uso de analgésicos.

Fibroadenomas Mamários:

  • Os fibroadenomas são nódulos sólidos benignos. Ocorrem mais frequentemente em mulheres jovens, entre a adolescência e os 30 anos de idade. Os nódulos são facilmente mobilizados, possuem bordas nitidamente definidas que podem ser palpadas durante o autoexame. Possuem uma consistência de borracha. Mesmo benignos têm uma tendência a voltar e podem atingir grandes volumes. O diagnóstico é principalmente clínico, mas pode ser complementado com punção e ecografia. O tratamento é exclusivamente cirúrgico.

Infecção e Abscesso da Mama:

  • As mastites (infecções mamárias) são raras, exceto após o parto e durante a amamentação. Em alguns casos , o Cancro da Mama pode produzir sintomas semelhantes aos de uma infecção mamária. A mama infectada torna-se hiperemiada (vermelha), edemaciada (inchada), sensível e quente. O tratamento adequado é a administração de antibióticos. A amamentação pode ser mantida. O abscesso mamário, ainda mais raro, deve-se à acumulação de pus na mama. Geralmente evolui de uma mastite não tratada. Recorre-se igualmente a antibióticos e é drenado cirurgicamente.

Distúrbio Maligno

• Cancro da Mama:

É o tumor mais frequente na mulher. São fatores de risco para a doença, a idade (acima dos 40 anos), história familiar (principalmente mãe, irmã ou filha), não ter filhos ou ter o primeiro filho após os 30 anos, ser portadora de mutação nos genes BRCA 1 e BRCA 2. Fatores de risco secundários são a primeira menstruação precoce, menopausa tardia, terapia de reposição hormonal por mais de 2 anos, raça branca, aumento de peso na pós-menopausa, alta ingestão de gorduras e uso crónico de álcool. A suspeita diagnóstica pode ser clínica (nódulo, secreção mamilar sanguinolenta), na mamografia e/ ou ecografia. A prevenção e o diagnóstico precoce deve ser feito com mamografia anual, após os 40 anos. Pode ser complementado com ecografia mamária (especialmente em mamas densas, mais frequentes nas mulheres mais jovens). A investigação diagnóstica pode incluir PAAF (punção aspirativa com agulha fina), biópsias percutâneas (retirada de fragmentos através da pele com dispositivos especiais) ou biópsias cirúrgicas. O tratamento inclui a cirurgia, a radioterapia, a quimioterapia e os bloqueadores de hormonas. A retirada da mama pode ser parcial ou pode haver necessidade de remoção completa, o que leva a uma maior indicação de cirurgias de reconstrução da mama. O acompanhamento multidisciplinar com fisioterapia (redução do edema e recuperação da plena movimentação do braço após a cirurgia) e psicologia são partes.